top of page
Buscar
  • Sara Moniz

A vida sobre as pedras

Diz-se que caminhar na Islândia pode parece como caminhar sobre a superfície da lua. Quando chegamos ao país ficamos com a ideia de que aterrámos noutro planeta e fica a dúvida de como é que há vida acima das pedras de lava, e não estou a falar das pessoas atenção, isso daria outra grande história. Mas é realmente impressionante o rico ecossistema que nasceu de condições tão extremas.

Não vou mencionar as milhares de espécies de plantas que lutam pela sobrevivência neste ambiente, é um reportório muito mais completo do que aquilo em que se acredita, mas vou referir algo que não temos em abundância e algo em que somos muito ricos, que são as árvores e o musgo incrível que faz parte da grande maioria das paisagens deste país.

Há uma velha piada que diz que no caso de te perderes numa floresta islandesa, basta te levantares! Bem, isto refere-se às poucas árvores que a Islândia tem e ao facto das que existem serem muito pequenas. No entanto, nem sempre foi assim, sabemos pelas fontes escritas deixadas pelos colonos que o país era "florestado da montanha até à costa".

Acredita-se que antes da chegada dos Vikings, 40% da Islândia tinha madeira em abundância, a deflorestação em massa aconteceu devido à necessidade dos colonizadores por materiais para a construção de navios, das casas e para os fogos que os mantinha quentes. Bastaram apenas cerca de 300 anos para se dar este cenário geográfico sem árvores e, que por consequência, resultou em problemas com a fertilização do solo, deixando a ilha como hoje conhecemos.

Não me entendam mal, existem sim árvores na Islândia, mas é resultado do esforço feito nos últimos anos para as recultivar, felizmente com uma grande taxa de sucesso. Hoje, podemos encontrar mais de 85 espécies de árvores estrangeiras no país, sendo as variedades mais comuns as originárias no Alasca que são cultivadas em estufas por ser ilegal importar árvores vivas para o país. A maior floresta é Hallormsstaðaskógur localizada no Leste da Islândia.

Não podia falar da flora do país sem mencionar o musgo. Esta famosa planta cobre campos de lava, montanhas e colinas e há mais de 600 espécies descobertas até à data no país. Estes cobertores verdes representam mais de metade de toda a vegetação da Islândia e acredita-se que esta foi a primeira espécie a colonizar a ilha.

Esta planta sem flor cresce em aglomerados e é adaptada ao clima islandês, uma vez que pode 'hibernar' durante o tempo mais frio e esperar por melhores condições. Apesar de ser uma planta resiliente que é capaz de suportar o tempo islandês, esta demora muito tempo a crescer, aumenta apenas 1 cm por ano nas melhores condições.

Os islandeses têm um profundo respeito pelo musgo e, uma vez que muitos danos podem ser causados por pisar ou caminhar sobre ele, o governo islandês tem feito muitos esforços para educar os visitantes de forma a estarem atentos ao local onde circulam para não causar danos involuntários.

As bolas de Musgo/Marino são fenómenos extremamente raros e só são encontradas em alguns lagos por todo o mundo. Na Islândia podemos encontrá-las no Lago Mývatn, na região norte do país. Trata-se de formações de algas causadas pelas ondas suaves que contornam a planta e resultam neste organismo esférico. Chama-se "Kúluskítur" que se traduz em "Bolas de Terra" e, infelizmente, as colónias têm vindo a diminuir nos últimos anos. Alguns entusiastas no Japão usam-nas como animais de estimação, mas na Islândia são espécies protegidas desde 2004.

O musgo islandês chama-se "fjallagrös" que se traduz em "erva da montanha". Em tempos mais antigos, o musgo era usado como alimento, hoje dá sabor a licores e schnapps e é usado para fins medicinais, pode ser consumido em forma de chá ou aquecido com leite e esta bebida pode tratar constipações comuns, tosse seca, febres, doenças pulmonares e muito mais. Há também um tipo deste musgo chamada “Reindeer Moss” que é nativo da Islândia e recentemente descobriu-se que pode ser útil no tratamento do cancro.

Um dos cobertores de musgo mais espetaculares está localizado na costa sul da Islândia, sobre o Campo de Lava de Eldraun, este campo é o resultado da erupção mais devastadora da história. Hoje, o campo de lava parece muito pacífico e sereno, o musgo esverdeado ajudou a suavizar a paisagem, quase disfarçando o passado violento de Eldhraun de que falarei numa publicação futura por isso fique atento!



Comments


bottom of page